Bolinho sem glúten e vegan

Bolinho de abobrinha, sem glúten, leite e ovos. Receita fácil e que as crianças adoram fazer e comer.

Panqueca

Massa versátil e fácil.

Cuscuz paulista

Uma receita original, sem glúten, sem leite e sem ovo.

Hambúrguer com legumes

Receita ideal para crianças que tem dificuldade de comer legumes.

Pão sem glúten e vegan

Pão sem glúten, leite e ovos. Receita super fácil!

Entender para fazer

Série de publicações que dão dicas de como receber bem alguém com restrições alimentares. Simples e fácil.

Você não tem cara de celíaco.

Mas será que celíaco tem cara?

30 de set de 2012

Panquecas



Essa é uma postagem feita com várias contribuições.
Passei a receita de panquecas sem glúten para a Júlia e a Marcela, professoras do CLIC, e elas fizeram panquecas verdes e vermelhas!
Acrescentaram espinafre e beterraba na massa. Você também pode acrescentar cenoura ou tomate, já fiz assim, também dá super certo! A criançada adora!
Já a foto maravilhosa deste post foi uma contribuição da Lila Cassini, do blog Casa da Lila.
O prato fica ainda mais apetitoso quando a fotógrafa é boa!
A receita original eu não sei se foi uma nutricionista que me deu ou se peguei no Orkut, infelizmente não marquei.
A receita de panqueca sem glúten é super fácil de fazer e rápida, substitui bem o pão e pode ser usada para fazer lasanha também.
Use os recheios que conseguir imaginar, frutas, legumes, carnes. Ou coma até sem nada!
Adoro esse receita!

Ingredientes

1 ovo ( você pode substituir esse ovo por mais 1 col. sopa de farinha de linhaça)
1 col. sopa de farinha de linhaça
0,5 xíc. de amido de milho
0,5 xíc. de farinha de arroz
0,5 xíc. de fécula de batata
1  xíc. de leite ( eu uso leite de soja)
1 col. sopa de óleo
sal

Modo de fazer

Coloque tudo no liquidificador e misture bem.
Se a massa ficar muito grossa, acrescente um pouco de água.
Unte uma frigideira com óleo, somente na primeira panqueca.
Coloque um pouco de massa e frite. Faça isso dos dois lados.

Importante!!
A massa fica boa para comer na hora, ou algum tempo depois, mas não de um dia para o outro.
Para deixar de um dia para o outro a panqueca pronta, já deixe pronta com o recheio.

28 de set de 2012

Ouça e entenda


www.artecomorigami.com.br

Série Entender para fazer

Ouça

Se o seu convidado tem restrições alimentares, o melhor a fazer é conversar com ele, descobrir o que não pode comer, peça sugestões para o cardápio.
Respeite as restrições, não questione com perguntas do tipo: "Ah, mas nem um pouquinho?", se a pessoa está falando que não pode, não pode e pronto, não nos cabe julgar os motivos que a  levaram a aderir àquela dieta.

Entenda

Você não precisa adequar todo o seu cardápio em função deste convidado, mas é bem legal oferecer ao menos uma ou duas opções seguras.
Ninguém é obrigado a fazer pratos especiais, escolha opções simples, com ingredientes comuns, permitidos e que poderão ser consumidos pelos outros convidados também (isso é muito importante!).  Evite industrializados, a maioria deles contém algum tipo de ingrediente que são causadores das alergias e intolerâncias mais comuns.
As pessoas que tem restrições alimentares já estão acostumadas a sair de casa prevenidas. Converse como seu convidado, veja se ele pretende levar algum kit. Assim você pode combinar o que vai oferecer com o que ele pretende levar.
Importante: Permita que ele leve o kit! Não se sinta ofendido.
Andar com um kit de comidas seguras faz parte da rotina do seu convidado, ele não está fazendo isso para te ofender ou por não confiar em você.

Próxima publicação: Faça
Publicação anterior: Como receber alguém com restrições alimentares

Como receber alguém com restrições alimentares


www.artecomorigami.com.br
Hoje começa uma pequena série de publicações sobre como receber alguém com restrições alimentares, seja em casa ou em uma festa.
Serão dicas e orientações para facilitar a vida do anfitrião e do convidado.
Quem não convive todo dia com o mundo das restrições alimentares pode achar bastante díficil oferecer uma refeição ou um pequeno lanche.  E talvez estes posts possam ajudar!
Acredito que a melhor maneira de acabar com o conceito de que "quem tem restrição alimentar tem restrição social" é a informação.
Somente informando e oferecendo opções a quem não conhece esse mundo, podemos acabar com esse mito.
Dieta com restrições não é um bicho-de-sete cabeças, não impede ninguém de ter uma  vida social ativa e feliz.
Além disso, é preciso mudar também a postura, afinal você vai na festa para comer???
Mas isso já é conversa para outra publicação...
Agora, acompanhe a série Entender para fazer.

25 de set de 2012

Para cozinhar sem glúten


Aqui estão dicas para quem vai cozinhar sem glúten, algumas podem parecer óbvias, mas fazem toda a diferença para quem está começando.

1. Não tenha pressa.
    Principalmente se você for iniciante na arte de cozinhar sem glúten, preste atenção ao que está fazendo e não tenha pressa.

2. Siga a receita.
    Se é a primeira vez que você está fazendo aquela receita maravilhosa, que a sua amiga indicou, faça seguindo à risca a receita. Não mude nem os ingredientes, nem as quantidades e muito menos o modo de preparo.
Existe um motivo para tudo ser daquele jeito. Além disso, se você alterar, e o resultado da receita não for bom, não vai dar para saber aonde foi o problema.
Deixe para alterar receitas que já conhece bem. Assim você pode saber exatamente se aquele toque pessoal funcionou e o que ele mudou no resultado final.

3. Tenha colheres e xícaras de medidas, e também uma balança.
    Essas pequenas ferramentas são essenciais! Não meça os ingredientes "no olho", as receitas sem glúten são sensíveis a pequenas mudanças.

4. Separe tudo o que vai precisar antes de começar.
    Tigelas, colheres de medida, ingredientes, formas, etc. Deixe tudo a sua disposição, aproveite e prepare as formas.

5. Verifique a origem da receita.
     A temperatura e a umidade do ar podem alterar o resultado da receita.
    Eu tenho uma receita de bolacha sem glúten que em São Paulo eu utilizo xg de margarina, já em Belo Horizonte essa mesma receita só dá certo com 2xg.
     Ah! O mau-humor também pode atrapalhar tudo! Eu nunca faço pão e bolo quando estou triste ou mau-humorada :-)

6. Coloque amor.
    Outro dia eu estava conversando com uma criança, e ela estava me dizendo que gostava das minhas bolachinhas, e me perguntou se eu colocava amor. Foi muito engraçado e bonitinho!

23 de set de 2012

Hambúrguer com legumes


A receita original deste hambúrguer eu peguei na caixa de Maizena.
Adaptei para que a carne ficasse mais saborosa e o hambúrguer mais macio.
O resultado ficou maravilhoso. Sucesso absoluto com as crianças!
Além disso, ele é assado e também não contém ovo.
Ah! E mais uma dica, você pode fazer almôndegas com essa mesma receita.

Ingredientes

1/2 kg de carne moída
1 cebola pequena ralada
2 dentes de alho amassados
1 col. de chá sal
1 col. de sopa de amido de milho
1 abobrinha ou chuchu ou cenoura cozidos e amassados com um garfo

Modo de fazer

Unte uma assadeira com óleo.
Em uma tigela misture todos os ingredientes.
Pré-aqueça o forno em 180oC.
Modele a massa no formato de hambúrguer ou almôndegas.
Leve ao forno por aproximadamente 25 min. ou até dourar.

21 de set de 2012

Mania de ler rótulos


Com o diagnóstico da doença celíaca, a primeira ação foi ir na despensa olhar o que tem e o que não tem glúten.
E foi assim que iniciei o hábito de ler rótulos.
Primeiro só procurava desesperadamente a mensagem “Não contém glúten” ou “Contém glúten”. Depois, passado o primeiro impacto dessa mudança radical na alimentação, passei a ler também as outras informações dos rótulos.
Isso também me faz ir pesquisar, para tentar entender todas aquelas informações. Foi então que me surpreendi!
Descobri que nem sempre a mensagem de “contém” ou “não contém glúten” está correta. Assustador!!
Produtos diet e light podem nos confundir e nos levar a enganos.
Que comemos muito além do recomendado de sódio, açúcar, gorduras, corantes e conservantes.
E que o glúten está presente em lugares inimagináveis!!
Diante de tudo isso, comecei a adotar outros hábitos alimentares, não só retirei o glúten da dieta, como também comecei a dar preferência a alimentos frescos, feitos por mim mesma, a evitar sempre que possível produtos industrializados e mais outras tantas mudanças.
O diagnóstico da doença celíaca me obrigou a mudar de dieta, mas foi a mania de ler rótulos que me impulsionou a fazer uma reeducação alimentar.

Notícias relacionadas

Pessoas que leem os rótulos dos alimentos são mais magras

Cuscuz paulista



Adoro essa receita porque é prática, rápida e os ingredientes são simples.
Além disso, o cuscuz uma receita naturalmente sem glúten, sem leite e sem ovo. Os ovos são opcionais, apenas para decorar.

Ingredientes

1 col. de chá de alho picado
1col. de sopa de cebola picada
sal a gosto
óleo para refogar
1 lata de extrato de tomate
3 folhas pequenas de louro
cebolinha e salsa desidratadas
1 lata de atum ou sardinha
2 xíc. de água
1 col. sopa de azeitonas picadas
1/2 xíc. de ervilhas
2,5 xíc.  de farinha de milho pré-cozida

Modo de fazer

Refogue a cebola no óleo. Acrescente o alho.
Adicione 1/4 xíc. de água e coloque as ervas desidratadas e as folhas de louro. Deixe ferver um pouco.
Coloque o atum e deixe refogar.
Acrescente o extrato de tomate, a água, a ervilha e o sal.
Deixe apurar por 5 min.
Coloque a farinha de milho aos poucos, mexendo sempre para não embolotar. Mantenha o fogo baixo
Vá acrescentando a farinha até formar uma pasta homogênea, que irá se soltar do fundo da panela.
Coloque a massa em uma forma de teflon ou umedeça uma forma comum antes de colocar a massa.
Coloque a massa fazendo um pouco de pressão para que não sobre espaços livres.
Desenforme em um prato, pode ser servido frio ou quente.