Bolinho sem glúten e vegan

Bolinho de abobrinha, sem glúten, leite e ovos. Receita fácil e que as crianças adoram fazer e comer.

Panqueca

Massa versátil e fácil.

Cuscuz paulista

Uma receita original, sem glúten, sem leite e sem ovo.

Hambúrguer com legumes

Receita ideal para crianças que tem dificuldade de comer legumes.

Pão sem glúten e vegan

Pão sem glúten, leite e ovos. Receita super fácil!

Entender para fazer

Série de publicações que dão dicas de como receber bem alguém com restrições alimentares. Simples e fácil.

Você não tem cara de celíaco.

Mas será que celíaco tem cara?

29 de nov de 2012

Toda festa tem que ter pipoca!

Parece óbvio, mas as vezes as pessoas esquecem das coisas simples e que (quase) todo mundo adora, como a pipoca!
É fácil e rápida de fazer e o custo é baixíssimo. E se quiser dá para fazer além da versão salgada, a doce.
Para a festa comprei saquinhos de pipoca, e arrumei em uma cestinha. As crianças podiam pegar os saquinhos de pipoca a qualquer hora.
Os saquinhos eram pequenos para caberem nas pequenas mãos e evitar o desperdício.
Em uma festa de 3h, com 15 convidados, foram consumidos 2 pacotes de pipocas de microondas.
Para saber mais
Fazendo a festa, sem glúten!
Brigadeiro
Bolinhas de frutas
Docinho de abacaxi com coco
Cupcake vegan sem glúten
Bolo de aniversário

27 de nov de 2012

Bolo de aniversário sem glúten e leite

Bolo de aniversário é o ponto alto da festa de aniversário de qualquer criança.
E esse é um bolo especial, pois não tem glúten, nem leite.
A receita desse bolo foi uma das finalista do concurso Prato Campeão, da Band. 
A receita original, do Thiago Correia, utiliza arroz cru, e isso foi a salvação durante o tempo que farinha de arroz era coisa raríssima.
Hoje a farinha de arroz é mais popular, então eu substitui o arroz cru pela farinha de arroz.
Também troquei o açúcar comum pelo mascavo, e incluí banana madura e farinha de linhaça. Isso faz com que a massa fique macia por mais tempo.
O recheio eu fiz duas camadas de trufa de chocolate (receita em breve).
Para cobertura usei o chantilly Hulalá (atualmente essa marca contém glúten), um dos melhores, fácil de usar, sem leite e glúten, e não deixa aquela sensação de gordura no céu da boca. Recomendo!
E a decoração da Era do Gelo 4 é papel de arroz, super prático, barato e fácil de usar, até para quem (como eu) não tem habilidade de confeiteiro.
Eu tinha um pouco de medo de usar papel de arroz e ele deixar sabor no bolo, mas isso não acontece, o papel fica imperceptível. 
Outro detalhe é que o papel de arroz tem as cores um pouco pálidas, mas depois que colocamos no bolo, as cores ficam vivas e mais fortes.
A receita do bolo é fácil de fazer, sem glúten, sem leite de vaca e se não puder usar o leite de soja, é só substituir por leite de coco ou suco. Fica ótimo!

Bolo de arroz (sem glúten e sem leite)

Ingredientes

3 ovos
1 col. de sopa de farinha de linhaça (eu uso a dourada)
1 e 1/2 xíc. de farinha de arroz
3/4 xíc. de açúcar mascavo
3/4 xíc. de leite (de soja, de coco ou suco)
3/4 xíc. de óleo (eu uso de girassol)
1/2 banana madura
1 pitada de sal
1 col. sopa de fermento

Opcional
1/2 xíc. de chocolate em pó

Modo de fazer

Unte e enfarinhe, com farinha de arroz, a assadeira. No liquidificador bata todos os ingredientes líquidos, a banana, o açúcar, o sal e a linhaça. Acrescente a farinha e bata bem. Por último adicione o fermento e use o botão de pulsar. Despeje na assadeira e asse em forno pré-aquecido, temperatura média, por 30 min. ou até o teste do palito ficar ok.

Dicas
Se você vai fazer o bolo recheado, antes de colocar o recheio molhe a massa do bolo com guaraná. Depois coloque o recheio. Isso faz com que o bolo fique molhado e mais gostoso.

Para saber mais
Fazendo a festa, sem glúten!
Brigadeiro
Bolinhas de frutas
Docinho de abacaxi com coco
Cupcake vegan sem glúten
Pipoca 

Cupcake vegan sem glúten

Esse cupcake é a receita campeã daqui de casa. Todos adoram!
A receita é da Claudia Marcelino, e você pode ver a receita original no blog dela.
Eu substitui a papinha de maçã, por uma maçã e sempre uso açúcar mascavo. Faça sem medo, essa receita sempre dá certo.
Já é o segundo ano que damos de presente aos convidados esses bolinhos decorados, todos ficam maravilhados.

Dicas

Para deixar o que é bom, melhor ainda, recheio os bolinhos com trufa de chocolate (sem leite, claro!) (receita em breve).
Para cobertura usei o chantilly Hulalá, um dos melhores, fácil de usar, sem leite e glúten, e não deixa aquela sensação de gordura no céu da boca. Recomendo! ( Essa marca agora contém glúten!!)
Outra opção é fazer uma cobertura de chocolate, também sem glúten e leite..
Muita atenção com os confeitos, muitas marcas contém glúten, por isso leia os rótulos. Usei os da Mavalério, mas fique de olho, algumas linhas dessa marca contém glúten e  leite.
Aqui as versões decoradas do mesmo bolinho...



Para saber mais
Fazendo a festa, sem glúten!
Brigadeiro
Bolinhas de frutas
Docinho de abacaxi com coco
Bolo de aniversário
Pipoca

Bolinhas de frutas (sem glúten, leite, ovo e soja)

Ideia super simples, fácil, barata e sucesso absoluto.

Ingredientes

Melancia
Melão
Melão orange

Modo de fazer

Você vai precisar de um boleador de frutas, à venda em qualquer loja de 1,99 ou de utilidades domésticas, super baratinho e útil.
Corte as frutas ao meio, e vá retirando as bolinhas com o boleador, faça com cuidado para as bolinhas ficaram bonitas.
Distribua as bolinhas em copinhos. Sirva gelado.

Dicas

Como a festa era para crianças pequenas, achei perigoso dar espetinhos para que elas pegassem as bolinhas. Então comprei colherzinhas coloridas bem pequenas e as espetei nas bolinhas. As crianças seguravam a colher e espetavam as bolinhas com o cabinho, elas curtiram o novo jeito de usar a colher!


Colheres coloridas Boleador de frutas

26 de nov de 2012

Docinho de abacaxi com coco vegan

O docinho de abacaxi com coco é lindo e gostoso, mas tem que ter paciência para fazer.
Eu levei quase 40 min. para conseguir deixar a massa no ponto para enrolar, pois cozinhei no fogo baixo porque começou a espirrar.  Mas valeu a pena!
A receita é vegan e você pode ver aqui.

Dicas
Esses docinhos são lindos e delicados, por isso faça do tamanho médio.
Assim como os brigadeiros também podem ser congelados. No dia da festa, coloque-os na geladeira.
Para congelar coloque os docinhos em um prato ou travessa e deixe-os separados, depois de congelados, podem ser guardados em potes fechados, só não aperte.
A receita rende em torno de 65 docinhos.

Para saber mais
Brigadeiro
Bolinhas de frutas
Cupcake vegan sem glúten
Bolo de aniversário 
Pipoca

Brigadeiro sem glúten




Essa é a receita tradicional, super fácil e o brigadeiro fica no ponto certo para enrolar.
Para garantir que seja sem glúten, verifique todos os rótulos, em especial o do chocolate em pó. Eu usei o chocolate da Mavalério.
O segredo é utilizar confeitos diferentes para deixar a mesa bem colorida.
Se você precisa de brigadeiro sem glúten e sem lactose, substitua o leite condensado tradicional pelo leite condensado de soja e utilize cacau.

Brigadeiro tradicional (receita da Nestlé)

Ingredientes
1 lata de leite condensando
3 col. sopa de chocolate em pó
1 col. sopa de manteiga
1 xíc. de chocolate granulado

Modo de fazer
Em uma panela coloque o leite condensado, o chocolate em pó e a manteiga.
Misture bem e leve ao fogo baixo, mexendo bem até desgrudar do fundo da panela, o que corresponde a aproximadamente 10 minutos.
Retire do fogo e coloque o brigadeiro em um prato untado com manteiga e deixe esfriar.
Com as mãos untadas, enrole as bolinhas e passe no granulado. Sirva em forminhas de papel.

Dicas
Faça brigadeiros pequenos, assim fica muito mais fácil para as crianças, e elas podem experimentar todos os confeitos diferentes.
O rendimento é de 65 brigadeiros, para uma festa com 12 crianças dá e sobra.
Você pode fazer os brigadeiros e congelar, eles duram até 3 meses. Na dia da festa, coloque-os na geladeira.
Para congelar coloque os brigadeiros em um prato ou travessa e deixe-os separados, depois de congelados, podem ser guardados em potes fechados, só não aperte.
Eu usei os brigadeiros para enfeitar a mesa, mas só liberei para as crianças comerem depois do parabéns. :)

Para saber mais

Fazendo a festa, sem glúten!

Todo ano fazemos as festas de aniversário dos nossos filhos sem glúten.
Mas a festa desse ano foi especial, pois foi a primeira vez que ele convidou amiguinhos da escola.
Resolvemos fazer uma festa só para crianças, e foi um grande acerto.
Como eu teria que fazer tudo, pesquisei bastante para tentar acertar no cardápio e nas quantidades.
Mas tudo que eu achei de sugestões de cardápio não me agradou, vi cardápios recheados de frituras, salgados gordurosos, exageros de doces. Achei tudo muito repetitivo e sem graça.
Mas o que me chamou mais atenção foram as quantidades sugeridas, achei tudo em excesso.
Não faz sentido dar uma festa de 3 ou 4 horas e encher uma criança com 8 salgados, 1  sanduíche e mais não sei quantos docinhos, não esquecendo que tem a tal mesa de guloseimas.
Pensei bastante sobre isso, e cheguei a conclusão que o básico, em uma festa de 3 horas no período da tarde, seria oferecer um lanche com carboidrato, fruta e suco.
Para garantir que as crianças comecem fiz pequenas "marmitas", um potinho com frutas e uma caixinha de suco.
Além disso, durante a festa as crianças podiam comer a vontade pipoca, pão de queijo e frutas, para beber água e suco.
Para a hora do parabéns, bolo de aniversário, brigadeiro, docinho de abacaxi e balinha de goma embrulhada em papel de bala tipo rococó.
E ainda para levar para casa, cupcakes em caixinhas decoradas.
Deu trabalho fazer tudo isso, mas eu realmente gosto! E na festa, eu vi que meus filhos e seus convidados adoraram tudo, a comida, a bebida e a companhia dos amigos. Afinal, festa é para compartilhar alegria!

Veja o cardápio da festa sem glúten, com receitas!


18 de nov de 2012

Como identificar o glúten

Como identificar o glúten nos produtos de higiene e nos cosméticos


O glúten podem estar em produtos que nem imaginamos, e isso é muito perigoso para quem é sensível ou intolerante a ele. Para saber mais leia o post Muito além da dieta.
Aqui estão algumas dicas para identificar o glúten em produtos de higiene e cosméticos.

  • Compre uma lupa. A maioria das empresas fazem rótulos onde não enxergamos quase nada. As letras são extremamente pequenas e as cores não ajudam. Quem consegue ler um rótulo branco com letras bem pequenas e ainda cor-de-rosa?
  • Imprima a lista de componentes que contém glúten (abaixo), e carregue sempre com você.
  • Mesmo que você já esteja acostumado com determinada marca e produto, verifique regularmente o rótulo, pois a empresa pode mudar a composição a qualquer momento.
  • Alguns produtos, mesmo sem conter glúten, podem causar reação em pessoas mais sensíveis. Se isso acontecer, suspenda o uso.
  • Em caso de dúvidas entre em contato com o SAC (Serviço de atendimento ao cliente) da empresa.
  • Se o SAC não for convincente, não compre. 
Lista de componentes que CONTÉM GLÚTEN e podem estar presentes nos produtos de higiene e cosméticos

Derivados de trigo
Amp-Isostearoyl Hydrolyzed Wheat Protein;
Disodium Wheatgermamido Peg-2 Sulfosuccinate;
Hydrolyzed Wheat Gluten;
Hydrolyzed Wheat Protein;
Hydrolyzed Wheat Protein Pg-Propyl Silanetriol;
Hydrolyzed Wheat Starch Dextrin Palmitate;
Hydrolyzed Wheat Flour;
Hydrolyzed Wheat Protein/Pvp Crosspolymer;
Hydroxypropyltrimonium Hydrolyzed Wheat Protein;
Hydrolyzed Wheat Protein;
Stearyldimoniumhydroxypropyl;
Triticum Vulgare (Wheat) Flour Lipids;
Triticum Vulgare (Wheat) Germ Extract;
Triticum Vulgare (Wheat) Germ Oil;
Vitamin E Derived From Wheat Germ Oil ;
Triticum Vulgare (Wheat) Gluten;
Triticum Vulgare (Wheat) Starch;
Wheat Amino Acids;
Wheat Bran Extract;
Wheat Germ Extract;
Wheat Germ Glycerides;
Wheat Germ Oil;
Wheat Germamidopropyldimonium Hydroxypropyl;
Wheat (Triticum Vulgare) Bran Extract;
Wheat Germamidopropalkonium Chloride Wheat Protein;
Wheat Germamidopropyl Ethyldimonium Ethosulfate Yeast Extract;

Derivados de aveia 
Savena Sativa (Oat) Flour;
Avena Sativa (Oat) Kernel Protein;
Oat (Avena Sativa) Extract;
Oat Beta Glucanoat Extract;
Oat Floursodium Lauroyl;
Oat Amino Acids;
Avena Sativa (Oat) Kernel Flour;
Hydrolyzed Oat Flour.

Derivados de cevada
Samino Peptide Complex;
Barley Extract;
Hordeum Vulgare (Barley) Extract;
Phytosphingosine Extract;
Barley Lipids;
Secale Cereale (Rye) Seed Flour.

Se não especificada a origem, pode conter glúten 
Hydrolyzed Vegetable Protein;
Hydroxypropyl;
Cyclodextrin;
Dextrin;
Maltodextrin.

fonte: Grupo no Facebook "Dermatite herpetiforme Duhring Brocq CELIAC SPRUE gluten enteropath Support Group"

10 de nov de 2012

Será que você tem empatia?

Não, empatia não é uma doença.
Segundo o dicionário Aurélio, a palavra empatia significa:"A capacidade psicológica para se identificar com o eu do outro, conseguindo sentir o mesmo que este nas situações e circunstâncias por esse outro vivenciadas"."Ato de se colocar no lugar do outro".
Eu entendo a empatia como olhar o mundo pelos olhos do outro.
A empatia é uma qualidade muito importante, pois permite nos colocarmos no lugar do outro, imaginarmos como o outro se sente em determinada situação.
Aquele ensinamento que diz "Trate os outros como gostaria de ser tratado."  é o ponto inicial para reflexão e para o exercício da empatia.
Quantas vezes você reflete sobre isso?
Uma boa maneira de nos conhecermos é mudar o ângulo de visão, avaliar como tratamos os outros diz muito sobre nós.
Perceber que o que o outro não diz, mas pode estar sentindo, faz toda a diferença nas relações.
Muitas vezes agimos por impulso, ou por hábito, e esquecemos que nossas ações e falas interferem diretamente na vida e nos sentimentos de outras pessoas. Por isso, a reflexão e o questionamento é peça chave para melhorarmos como seres humanos.
Se queremos um mundo melhor precisamos ser pessoas melhores.

9 de nov de 2012

Bolo vegan sem glúten de abobrinha


Em setembro aconteceu a festa da primavera, e eu inventei uma receita de bolinho de abobrinha sem glúten e sem leite.
O resultado ficou ótimo, e ele foi sucesso na festa.
Mas eu queria uma versão também sem ovos, para mandar para minha amiga vegan. :-)
Depois de alguns testes consegui, as crianças adoraram!
É uma receita bem fácil e rápida. Todos aprovaram!

Ingredientes

1/2 xíc. de óleo ( usei óleo de girassol)
3 col. de sopa de farinha de linhaça dourada
500g de abobrinha
1 col. chá de essência de baunilha
1 xíc. de açúcar
1 pitada de sal
1 e 1/2 xíc farinha de arroz
1/4 xíc. de fécula de batata
1/4 xíc. de polvilho
1 col. de sopa de fermento químico

Modo de preparo

Em uma tigela misture as farinhas. Reserve.
No liquidificador coloque o óleo, a abobrinha picada ( não precisa ser ralada nem cozida), a farinha de linhaça, a baunilha, o açúcar e o sal. Bata até não sobrar pedaços da abobrinha.
Despeje a mistura do liquidificador na tigela com as farinhas.
Misture delicadamente com uma colher. Não bata.
Acrescente o fermento e misture.
Coloque a massa em forma untada e enfarinha com farinha de arroz.
Asse em forno pré-aquecido a 180ºC, por cerca de 20 min. ou até o teste do palito ficar ok.

7 de nov de 2012

Pão sem glúten e vegan



Baguete sem glúten, leite e ovo

Essa é uma receita do blog Cozinha sem glúten e sem leite, da Claudia Marcelino.
No blog dela todas as receitas são sem glúten e sem leite, e algumas são vegans. Recomendo!!
Quando fiz essa receita substituí a farinha de arroz pela farinha de arroz integral.
Uma coisa muito boa dessa massa é que dá para moldar, o que é bem raro em pães sem glúten. Mas eu não quis manusear muito a massa porque foi a primeira vez que fiz essa receita.
Enquanto o pão assava a casa ficou com um cheirinho de pão francês, mas apesar do cheiro, esse pão tem a textura diferente.
Ele tem uma casquinha crocante, e por dentro é bem macio e saboroso.
Receita fácil e rápida de fazer, com ingredientes simples. Todos aprovaram!
Veja a receita original no blog da Claudia.


Ingredientes

1 e 1/2 xícara de farinha de arroz
1/2 xícara de fécula de batata
1/2 xícara de polvilho
1/2 xícara de farinha de linhaça
1 colher das de sopa de CMC
1 e 1/2 colher das de chá de sal
1 colher das de sopa de fermento biológico seco instantâneo
1 colher das de sopa de açúcar ou glicose
1 colher das de chá de vinagre de maçã
2 colheres das de sopa de óleo
1 e 1/2 xícara de água morna.

Modo de fazer:

Coloque os ingredientes secos em uma vasilha e misture.
Misture os ingredientes líquidos em outra vasilha, reservando 1/4 de xícara de água. Transfira a mistura líquida para a vasilha de ingredientes secos e bata por 3 minutos.
Se ficar uma massa muito seca, adicione a água restante aos poucos, talvez não precise de toda a água. A massa fica firme, subindo pelas pás da batedeira.

Unte e enfarinhe uma assadeira. Molde os pãezinhos no formato que quiser, untando as mãos com creme vegetal (margarina sem leite). Para as baguetes, unte e enfarinhe duas formas de espumone ou quatro formas para pães de canapés.

Coloque as formas em local quente e abafado, dentro do micro-ondas ou armário e deixe dobrar de volume. Pincele café sobre os pães para ficarem mais moreninhos.

Pré-aqueça o forno a 180ºC e asse os pães por cerca de 40 minutos.


5 de nov de 2012

Vegan, um estilo de vida


Acredito que muitas vezes aprendemos movidos pela dor e pelo amor.
Eu estou aprendendo como me alimentar melhor movida pela dor, mas muita gente consegue mudar o seu estilo de vida movida pelo amor. Um exemplo disso são os veganos.
São pessoas que movidas pelo amor ao planeta, à natureza, aos animais e a sua saúde, mudaram não somente a alimentação, mas todo seu modo de viver.
Ainda estou aprendendo sobre essa filosofia de vida, com ajuda de uma amiga que é vegana e tem me apresentado um mundo novo.
O vegano não consume produtos de origem animal, nem produtos de empresas que utilizam animais em testes.
Nas minhas leituras, descobri que também não frequentam circos, zoológicos e qualquer forma de entretenimento que envolva animais.
Pode parecer que não faz diferença, mas faz! Você sabia que produzir 1kg de carne no Brasil gera tanto CO2 quanto rodar 1.600km de carro?
Tornar-se vegano pode acontecer de repente para alguns, e para outros é uma ideia que vai amadurecendo.
Mesmo que no momento você não esteja pronto para essa transformação, o importante é tomar consciência, é descobrir que existe opção, que podemos viver sem explorar os animais.
Podemos experimentar, fazendo alguns dias da semana refeições veganas, assim você vai descobrir que esse cardápio é colorido, gostoso e saudável.
Também podemos começar dar preferência para empresas que não exploram animais, não financiam rodeios ou desfiles de moda de roupas de couro, por exemplo.
Para adotar a dieta vegana, estude sobre o assunto e procure um nutricionista que também conheça bem essa dieta. Ter um nutricionista para orientar nessa transição é essencial!
Aos poucos, aqui no blog, vou publicar o que estou aprendendo sobre o estilo de vida vegana, são muitas informações, muitas descobertas e muita coisa para refletir.


Para saber mais: Seja vegano e ViSta-se



Receitas vegans: Uma Massafera na cozinha vegan  - Adoro esse blog, tem muita receita que dá para adaptar e deixar sem glúten.


Muito além da dieta

A maioria das pessoas pensam que o celíaco tem que excluir o glúten da alimentação, mas isso não é verdade.
Não é só a dieta que tem que mudar, é tudo. Depois de revisar a despensa e o cardápio, o celíaco tem que começar a pesquisar onde mais tem glúten escondido, e ele está em lugares inimagináveis!
Na massinha de modelar da escola, no giz da lousa, no sabonete, no creme hidratante, no batom, e por ai vai...
A massinha de modelar e o giz, você encontra com certa facilidade as versões sem glúten. Exemplos, a massa de modelar a base de cera da Acrilex e o giz da Calac.
Um outro exemplo bom de massinha é a Moon Dough, da Long Jump, é uma massinha para brincar, o preço não é muito acessível, mas na embalagem informa em letras bem grandes que é sem adição de trigo. A textura é bastante diferente das massinhas a base de cera.
Já os produtos de higiene e cosméticos, esses são fontes de problemas e preocupações.
O contato com o glúten pode acontecer através das mucosas e da pele, por isso o cuidado na escolha de produtos de higiene e cosméticos é fundamental.
O que adianta você fazer uma dieta totalmente sem glúten, cheia de cuidados e depois do banho usar creme hidratante com proteína de trigo?.
A falta de informação nos rótulos e nos SACs das empresas, os rótulos ilegíveis, os nomes dos ingredientes na composição, a mudança constante da composição e da forma de produção, e principalmente o descaso das empresas, torna a vida de quem precisa de produtos gluten-free o caos.
São horas e horas de ligações, esperas, perguntas sem respostas ou respostas absurdas.
Uma vez liguei para uma empresa para saber do xampu, e a atendente me explicou que eu não deveria ingerir o xampu...
Por isso, a divulgação é tão importante, explicar sobre a doença celíaca e sobre as necessidades do celíaco é responsabilidade nossa também, só assim as empresas poderão entender e nos respeitar como consumidores.

Para saber mais: Como identificar o glúten