Bolinho sem glúten e vegan

Bolinho de abobrinha, sem glúten, leite e ovos. Receita fácil e que as crianças adoram fazer e comer.

Panqueca

Massa versátil e fácil.

Cuscuz paulista

Uma receita original, sem glúten, sem leite e sem ovo.

Hambúrguer com legumes

Receita ideal para crianças que tem dificuldade de comer legumes.

Pão sem glúten e vegan

Pão sem glúten, leite e ovos. Receita super fácil!

Entender para fazer

Série de publicações que dão dicas de como receber bem alguém com restrições alimentares. Simples e fácil.

Você não tem cara de celíaco.

Mas será que celíaco tem cara?

27 de ago de 2013

Recomeçar - Editado

No último mês, o blog ficou parado porque eu e minha família mudamos. Voltamos para São Paulo.
Morar em Belo Horizonte foi uma experiência de vida, aprendemos muito sobre a cultura e os costumes mineiros.
Mas agora estamos novamente recomeçando, em uma cidade nova, porém bem próxima da capital, o que já é suficiente para nos sentirmos em casa.
Mesmo com a questão da restrição alimentar, a adaptação tem acontecido de maneira bastante tranquila.(Veja a nota de edição no final do post)
Visitamos os mercados para conhecer as farinhas e produtos sem glúten disponíveis, verificar os preços, e tivemos surpresas muito boas, escreverei sobre isso num próximo post.
Continuarei fazendo tudo em casa, por opção, porque eu gosto e acredito ser muito mais saudável.
Também passamos pelo processo de procurar escola para as crianças, e como eu já havia comentado em outra publicação, não é fácil encontrar escolas interessadas realmente nas crianças.
Mas encontramos. Passamos pela fase de adaptação e de orientação em relação a doença celíaca e todos os cuidados que envolvem. E sempre, o assunto que gera mais dúvidas é a contaminação cruzada, seguido de perto pelos materiais que podem ser usados.
Por isso, escrevi uma pequena apostila de orientação para escolas, são linhas gerais para começar a entender e adaptar a rotina, para tornar o ambiente escolar seguro para a criança celíaca.
Usei essa apostila na primeira escola que meus filhos frequentaram, e o resultado foi ótimo. Ajudou a divulgar sobre a doença celíaca, também demonstrou às educadoras e os demais funcionários a importância dos cuidados, que são simples mas pedem atenção constante.
É um texto bastante simples, para alcançar o maior número de pessoas.
Você pode ver a apostila logo abaixo, e se quiser pode utilizá-la, só não esqueça de indicar a fonte, até para que as pessoas possam nos enviar dúvidas, correções ou sugestões.
Mas esse post é só para lembrar, que com ou sem restrição alimentar, a vida é feita de recomeços. 
Recomeços dão trabalho, mas também nos dão oportunidade de corrigir o rumo, de fazer melhor e principalmente, de ser mais felizes.
Por isso, não tenha medo de recomeçar.

***Nota de edição
Infelizmente, dias depois da publicação deste post começaram a surgir inúmeros problemas com a escola, e embora tenhamos nos empenhado para oferecer o maior número possível de informações, nem sempre as pessoas estão dispostas a aprender e aceitar as diferenças.
Por isso, tivemos que procurar uma nova escola.
E para ajudar a todas as famílias, também estou compartilhando outros documentos que podem ajudar muito no treinamento.
Mas não esqueça, não se pode ensinar quem não quer aprender.