Bolinho sem glúten e vegan

Bolinho de abobrinha, sem glúten, leite e ovos. Receita fácil e que as crianças adoram fazer e comer.

Panqueca

Massa versátil e fácil.

Cuscuz paulista

Uma receita original, sem glúten, sem leite e sem ovo.

Hambúrguer com legumes

Receita ideal para crianças que tem dificuldade de comer legumes.

Pão sem glúten e vegan

Pão sem glúten, leite e ovos. Receita super fácil!

Entender para fazer

Série de publicações que dão dicas de como receber bem alguém com restrições alimentares. Simples e fácil.

Você não tem cara de celíaco.

Mas será que celíaco tem cara?

26 de set de 2013

Pão de queijo sem glúten, leite, ovo e soja


Isso mesmo, pão de queijo sem glúten, leite, ovo e soja. Ufa!!
Recebo muitos e-mails me perguntando se é possível fazer um pão de queijo assim.
Mas o último e-mail que recebi foi de uma mãe de BH, de quem eu gosto muito, e então fui procurar e testar uma boa receita para o pequeno João.
Pesquisei e encontrei essa receita de pão de queijo vegetal no blog Uma Massafera na cozinha vegan, da minha amiga Lilian.
Aliás, blogs e livros de receitas vegans são ótimas fontes de pesquisa, tem muita receita fácil e que podemos adaptar facilmente.
A receita da Massafera é ótima, eu só fiz algumas pequenas alterações.
No lugar da batata, usei 300g de mandioquinha, polvilho doce no lugar de azedo e não coloquei nenhum queijo vegetal.
Assei por 30 minutos a 180ºC, em forno pré-aquecido.
A receita completa você pode ver lá no blog dela, clique aqui.
Os pãezinhos ficam mais claros que o pão de queijo comum, por isso usei a mandioquinha, assim eles ficam mais amarelinhos, o sabor é divino!
Você pode congelar, mas o difícil é sobrar algum para fazer isso ;)
Outra sugestão é modelar pães maiores, assim dá para fazer sanduíches para levar na lancheira.



2 de set de 2013

Meninos e os porquinhos cor-de-rosa



Ontem fui em uma loja em que na compra de qualquer produto você ganharia um brinde.
Comprei o que tinha que comprar e no caixa a atendente não me deu o brinde, que era uma esponja de tecido, dessas de bichinhos.
Eu estava com os meus filhos, e com certeza, eles iriam adorar a tal esponja. Pedi o brinde.
A atendente olhou para mim e disse "Só tem rosa."
Eu fiquei olhando para a cara dela e pensando: "E daí?"
Mas guardei para mim e só disse que tudo bem.
Ah! Mas eu quis 2 esponjas, afinal são 2 filhos :)



Hoje, lembrando da fala da atendente, fiquei pensando como as pessoas ficam limitadas a padrões, muitas vezes, nem refletem sobre o que falam e fazem.
Eu sempre acreditei que não existe brinquedos de meninas e meninos, mas nem todo mundo pensa assim. As vezes,  a fala até é essa, mas a prática não.
Vejo coisas que não tem lógica, e mesmo assim as pessoas compram. Um exemplo, jogos de tabuleiro versão para meninos e versão para meninas. Não tem sentido! 
Por que os brinquedos das meninas tem ser rosa com temas que incentivam o consumo desenfreado de moda e beleza, enquanto dos meninos são azuis e voltados para lutas e competições?? 
Agora imagine viver em um mundo assim, cheio de padrões sem sentido, e ter algum tipo de restrição alimentar. Na verdade, qualquer restrição.
Por isso, para tantas pessoas, é tão difícil aceitar e conviver com restrições, porque elas nos fazem mudar o nosso padrão. Você tem que mudar, é obrigado a fazer diferente do que está acostumado, é obrigado a viver de uma forma diferente da maioria das pessoas. 
Aqui em casa, meu filho desde bebê faz a dieta sem glúten, então ele sempre viu eu e o pai cozinhando, falando sobre receitas e ingredientes.
Quando ele tinha 2 anos, adorava brincar que estava cozinhando.
Resolvemos comprar um fogãozinho com panelinhas para ele.
Meu filho adorou, sempre brincou de fazer comidinha, quando as visitas chegavam, fazia uma tapioca de mentirinha e servia. E ainda fica esperando a pessoa falar "Hummm que delícia!"
Mas eu percebia que algumas pessoas estranhavam, torciam o nariz...
E quando meu segundo filho nasceu, ele também  passou a brincar com as panelinhas.
Mas por que deixar meninos brincarem com panelinhas e fogãozinho?
Na brincadeira a criança vivência o seu dia-a-dia, e na minha casa, meu marido ajuda em tudo, faz comida, dá banho nas crianças, vai no mercado...e eles querem ser iguais ao pai.
No mundo de hoje, homens envolvidos com as tarefas da casa tem muito mais chance de serem felizes, pois estão mais de acordo com a realidade e as expectativas das mulheres.
Além disso, precisamos educar nossos filhos para serem homens independentes, que poderão um dia morar sozinhos, sem dependerem de cuidados de mãe, namorada ou empregada.
No caso dos meninos que tem restrição alimentar, criar o hábito de cozinhar e aprender a cozinhar é uma necessidade.
Então, não tenha medo de ensinar seu filho a cuidar do bebê, a limpar a casa e a cozinhar. Porque todo homem precisa saber essas coisas.

Assuntos relacionados